Encontraram 24 deste inseto, considerado extinto há 80 anos

Milhões de anos sobre a Terra, não extintos por muito pouco
Milhões de anos sobre a Terra, não extintos por muito pouco

A história é impressionante. Em uma ilha no sul da Austrália chamada Lord Howe, e somente lá, existia um inseto longo de exosqueleto duríssimo tecnicamente conhecido como Dryococelus australis.

Então em 1918 um navio inglês encalhou nesta ilha, e ratos que estavam a bordo encontraram um banquete inesperado. Os insetos em pouquíssimo tempo foram completamente eliminados da ilha. Desde 1920 nunca mais se teve registro dos longos e pretos insetos gigantes.

Adianta a história para a década de 60 quando alguns escaladores estavam subindo num dos locais mais sensacionais do planeta Terra, a Ilha Pirâmide de Ball, uma pedra gigante que fica a 29 quilômetros da Ilha de Lord Howe, e que surgiu há 7 milhões de anos. Eles perceberam algumas cascas de inseto mortos. Sim, do insetos da ilha Howe…

Ball's Pyramid
Ball’s Pyramid

A história dos escaladores ficou registrada, mas nada foi feito até que em 2001 dois cientistas australianos decidiram arriscar uma ida até a Ball’s Pyramid em busca do inseto perdido. Avistaram uns arbustos a 152 metros de altitude (a ilha tem 562m no total) e quando conseguiram chegar lá, havia sinais de que insetos tinham passado por alí: cocô de insetos, e grandes.

O problema é que essa espécie de 12 centímetros de comprimento tem hábitos noturnos. No esforço para descobrir a verdade, eles esperaram anoitecer e voltaram com câmeras e lanternas. Acabaram encontrando 24 destes insetos embaixo do arbusto. Os últimos 24 do Planeta Terra.

No longínquo Mar da Tasmânia, a Ilha Howe e a Pirâmide de Ball
No longínquo Mar da Tasmânia, a Ilha Howe e a Pirâmide de Ball

A jornada de milhões de anos da espécie não havia acabado. Com uma complicada autorização do governo, 4 exemplates foram recolhidos para serem reproduzidos em cativeiro. Depois desta noite foram feitas outras expedições até a Ball’s Pyramid, mas não encontraram mais espécimes.

Um dos casais acabou morrendo, e a fêmea do segundo ficou doente, mas acabou sendo curada por um biólogo do zoo em que estava. 30 ovos foram depositados para formar a base da nova população dos pequenos grandes insetos da Ilha de Howe.

O nascimento de um inseto da Ilha Howe. Comprido desde o nascimento.

Cinco anos depois, já existem 700 insetos adultos em cativeiro. E um comportamento estranho para insetos foi observado neles: escolhem um par e até dormem juntos, como um casal apaixonado (de conchinha, ou quase isso: o macho coloca três patas em cima da fêmea que fica por detrás dele).

Concluindo, insetos de milhões de anos foram exterminados em sua terra natal, mas alguns mantiveram a espécie viva morando em uma pedra de 562 metros cercada pelo oceano. A PIXAR poderia fazer um filme sobre esses caras. Seria emocionante.

Por: Slonik RafaelEm: junho 3, 2013 | Em Natureza  |
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *