Urina, sangue e arsênico para a beleza

portrait_of_a_lady_in_blue-thomas-gainsborough-patches2As mulheres nobres do século 18 que não tinham nada além da sua beleza para se preocupar, faziam coisas estranhas para atingir esse objetivo.

Para acabar com as sardas: passar no rosto urina fresca de garotos. Para deixar a pele mais branca, tomar arsênico e lavar-se com sangue de morcego.

Tanta paranóia com a beleza tem fundo científico, as pessoas bonitas – especialmente as mulheres – conseguem posições melhores na sociedade quanto maior sua beleza. Hoje dá para perceber claramente como esse desejo é intrínseco no ser humano: ele faz girar um mercado de mais de 160 bilhões de dólares por ano.

Por: Slonik RafaelEm: junho 25, 2013 | Em Natureza  |
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *